Se você já buscou no Google por "formas de ganhar dinheiro sem sair de casa", provavelmente já ouviu falar de dropshipping, um método de vendas de produtos físicos online sem estoque - comprando do fornecedor e enviando direto para o consumidor final. Além da liberdade de poder trabalhar de qualquer lugar, a grande vantagem desse modelo de negócio é que você não precisa de um caixa inicial grande para manter um estoque, seu fornecedor será o responsável por isso e por toda a logística de entrega. 

Essa prática vem se tornando cada vez mais comum no Brasil nos últimos anos, mas ainda desperta muitas dúvidas e desconfianças em quem é novo no mercado. Muitas promessas milagrosas também acabam gerando grandes expectativas naqueles que se deparam pela primeira vez com esse mundo do digital. Por isso, nesse artigo, desmistificamos as 5 mentiras mais comuns em torno do dropshipping, que você provavelmente já ouviu ou ouvirá.

1. Dropshipping é ilegal

Não poderíamos começar essa lista respondendo a uma dúvida clássica muito alimentada por quem não conhece o mercado: não, dropshipping não é ilegal. É normal que muitas pessoas acreditem nisso, afinal, vender um produto que você não dispõe em mãos pode parecer suspeito. Mas a verdade é que grandes empresas, como o Magazine Luiza e o Ponto Frio, operam da mesma forma, como intermediadores entre o fornecedor e o consumidor final.

Não existe nenhuma legislação no país que regulamente ou proíba essa prática. As leis que cabem para esse caso são as de venda de produtos nacionais e internacionais, que devem ser seguidas como em qualquer outro e-commerce. Por isso, é muito importante que você formalize seu negócio, abrindo um CNPJ e pagando todos os impostos relacionados à atividade. É importante ressaltar também que, embora seu fornecedor realize a logística de entrega dos produtos, você ainda será totalmente responsável pela venda e garantia de entrega ao cliente, fornecendo assistência para contratempos que possam haver, como em qualquer loja virtual. 

2. Dropshipping é uma renda extra

Engana-se quem pensa que ter uma operação de dropshipping é uma atividade extra que pode ser exercida no tempo livre. Ter uma loja virtual, mesmo que sem estoque, exige muita dedicação e definitivamente não é uma tarefa para ser executada em segundo plano, principalmente quando se começa a investir em tráfego pago. Um e-commerce de drop demanda que você processe pedidos, ofereça suporte aos consumidores antes da venda e após, elabore criativos e ofertas que convertam, entre inúmeras outras tarefas.

É claro que, se você está iniciando no mercado, o dropshipping pode não ser sua fonte de renda principal. E, nesse caso, pode ser arriscado largar a CLT para se dedicar integralmente à sua loja online. Mas, tão importante quanto dar o primeiro passo, é saber a hora de focar 100% no seu negócio para torná-lo consistente e sustentável a longo prazo.

3. Não é preciso investimento para começar

Se comparado a modelos de e-commerce com estoque, o dropshipping definitivamente requer baixíssimo investimento. Mas isso não significa nenhum investimento: você precisará de um valor inicial para construção e hospedagem do site, ter um domínio próprio, softwares básicos e principalmente para o tráfego.

Sim, você pode começar a vender de maneira orgânica, sem investir em anúncios no Facebook ou Google Ads para atrair clientes. Mas a verdade é que assim você investirá muito mais tempo e paciência para ter pouco resultado, o que pode ser desanimador. Por isso, junte uma quantia segura dentro do seu orçamento para investir em tráfego pago e estude muito antes de executá-lo.

4. Você vai ficar rico do dia para a noite

A promessa de dinheiro rápido é a que atrai mais pessoas para o mercado do dropshipping. Você pode ter a sorte de encontrar um produto e uma oferta que convertam e façam muito dinheiro durante as primeiras semanas da sua loja. Mas, claro que, esse resultado virá com muito trabalho e dedicação. 

O que não te dizem é que, mais importante do que fazer muito dinheiro da noite para o dia, é manter uma consistência. Isto é, você pode faturar muito nos seus primeiros meses no drop, mas seu negócio só terá sucesso de fato se o faturamento da sua loja se manter constante. E para isso, você precisará reinvestir na sua operação e manter um caixa para emergências - então esqueça por enquanto as viagens internacionais e o carro zero que você está planejando…

5. O mercado está saturado

Para finalizar essa lista, vamos desmistificar mais um clássico: não, o mercado não está saturado e o dropshipping não vai morrer. As pessoas continuarão comprando online de e-commerces sem estoque porque elas se importarão mais com a sua oferta do que com o seu modelo de logística, desde que, claro, você desenvolva bem o branding da sua empresa para fortalecer sua marca e gerar confiança nos seus visitantes.

É claro que, com a competitividade do mercado e muita gente vendendo as mesmas soluções, você terá que se reinventar; criar ofertas e criativos que te diferenciem e que façam as pessoas preferirem comprar da sua loja. O lado positivo disso tudo é que, com mais lojas de dropshipping, a tendência é que surjam mais soluções para quem vende sem estoque e logísticas de entrega internacional melhorem cada vez mais.

Mas afinal, dropshipping vale a pena?

O Dropshipping é uma excelente forma de começar a empreender online e um mercado em alta com muito potencial - a prova disso é que, cada vez mais, startups e grandes empresas estão apostando em soluções voltadas para dropshippers. Mas apesar de todas as vantagens desse modelo, como o custo baixo inicial e grande potencial de escala, ter um e-commerce sem estoque não é nada simples e requer muito trabalho, experimentos e paciência. 

Você também deve estar preparado para lidar com devoluções e problemas de entrega, que são comuns. Para isso, você deve buscar fornecedores bem avaliados e manter um contato com eles, garantindo que toda a parte logística esteja funcionando corretamente. E se você quer começar no mercado e ainda não sabe bem por onde, pode conferir nosso artigo de erros mais comuns cometidos por iniciantes para evitar. Em resumo, o dropshipping funciona muito bem, mas não deve ser feito como uma forma de renda extra. Você precisará se dedicar de forma integral para administrar e criar estratégias para o seu e-commerce, de maneira que a sua operação consiga sobreviver após os primeiros meses, que são cruciais para se manter no mercado. Se conseguir manter uma constância no seu faturamento, com certeza terá sucesso no seu negócio.