Com o comércio eletrônico cada vez mais significante, tendências mercadológicas e métodos ficam cada vez mais procurados e desejados, tanto para quem quer comprar quanto para quem quer investir como lojista. De acordo com o statista.com,  o comércio eletrônico deve atingir mais de 7 trilhões de dólares até 2025. 

Entre esses métodos de compra e venda eletrônica estão presentes os mercados de dropshipping e afiliados. Em ambos você trabalha remotamente e tem a possibilidade de iniciar com baixo investimento. Mas afinal, qual vale mais a pena? Nesse artigo vamos te mostrar como funcionam, os prós e contras, e qual modelo de negócio combina mais com você!

O que são?

No modelo de marketing de afiliados, você é responsável por promover e vender serviços de outras empresas.

Por exemplo, uma esteticista expert no assunto lança um curso em uma plataforma de venda, então, o afiliado é responsável pela divulgação, tráfego e venda desse produto, no caso o curso. Após a realização dessa venda, por meio de trackeamento de link, a empresa sabe quem foi o responsável pela venda e uma parte do valor vai para o vendedor e outra para o criador do serviço ou produto.

Já o dropshipping é um e-commerce de produtos físicos, assim como qualquer outro, porém, nesse modelo você possui a vantagem de não precisar de um estoque. Você é o responsável pela oferta, venda e entrega, mas o produto sairá diretamente do fornecedor para o cliente final, como se você fosse um intermediador. 

O passo inicial no dropshipping é procurar por produtos que sejam tendências, os chamados (leia em (colocar link dos produtos vencedores), criar uma oferta em cima deles com uma copy e criativo chamativos, anunciá-los por meio de tráfego pago ou orgânico e então, quando a venda for realizada, o seu fornecedor entregará direto para a casa do seu cliente.

Diferenças e semelhanças

Começando pelas semelhanças, os dois métodos não exigem que você tenha estoque físico e possuem riscos baixos e baixo custo para iniciar em comparação a outros modelos de negócio. Mas lembre-se que, como qualquer outro empreendimento, exigem trabalho e esforço.

Quando esses esforços são acompanhados de constância, os dois modelos também possuem alto potencial de escala e ganhos, e exigem também competências similares, como conhecimento sobre tráfego, copywriting e outras habilidades do marketing digital.

Falando sobre as principais diferenças, citamos as margens de lucro, uma vez que afiliados possuem comissão fixa, e dropshippers podem variar esse lucro de acordo com o que eles definirem por estratégia, ou pelo o que vale a pena.

Na questão do marketing, todo o tráfego gerado para afiliados será redirecionado para sites de outras pessoas, pois você estará vendendo um produto ou serviço dela, enquanto no dropshipping você estará gerando tráfego para si mesmo. Outro ponto relevante é que o dropshipping necessita de atendimento aos pedidos, por estar trabalhando com vendas de produtos ‘’seus´´ , já os afiliados não precisam pois qualquer problema o cliente irá direto no suporte do criador do serviço.

Ao contrário do marketing de afiliados, podemos automatizar um negócio de dropshipping com software de automação. Por exemplo, Adminer  é uma plataforma de automação de dropshipping que ajuda a automatizar operações comerciais. Nossos recursos incluem importação de produtos , monitoramento de preços e estoque, atendimento de pedidos e muito mais. Com o uso dessas ferramentas automatizadas, podemos dimensionar facilmente um negócio de dropshipping.

Prós e contras de ambos

Como afiliado ou dropshipper a inicialização é de baixo custo, e são fáceis de iniciar. Possuem alto potencial de ganhos, e alguns outros pontos citados acima. Os contras são que existe um alto nível de competição entre ambos.

O marketing de afiliados é baseado em comissões , só recebemos uma receita se nosso público clicar nos links promocionais. Embora o marketing de afiliados possa ser uma ótima fonte de renda extra, pode ser difícil ter margens de lucro mais altas com um salário baseado em comissões.

Os contras adicionais do dropshipping, são a falta de controle sobre a disponibilidade de estoque, os tempos de envio e o contato com o cliente, já que você será o intermediador da compra.

As vantagens são que suas comissões e ofertas você que define e pode estar recebendo o dinheiro da venda até no mesmo dia que a venda foi feita, e construindo algo para si próprio.

Conclusão

Agora você já sabe os principais pontos, prós e contras dos dois modelos de negócio. Como concluímos, as margens de lucro com o dropshipping são maiores, já que você quem escolhe essa porcentagem em cima da venda. Obviamente os dois são ótimas apostas, porém é uma escolha pessoal e muito dependerá do nível de dedicação em ambos.

Para concluir, se você deseja ter mais conhecimento sobre dropshipping, loja virtual, ecommerce não deixe de acompanhar nossas redes sociais, com conteúdo exclusivo para quem está embarcando nas vendas digital.